historia

O REI DO MONTE AZUL

O rei do Monte Azul Oládia

É uma manhã de Verão em OláDia, mas algo está diferente. O chão está coberto de neve e o ar está gelado. Os animais procuram rapidamente um abrigo e ninguém se atreve a sair. Apesar do frio, Dinis apressa-se a vestir a sua roupa mais quente e sai de casa com CauCau. Qual será a origem deste estranho fenómeno?

Dinis repara que a onda de frio tem origem nas montanhas do Monte Azul, é uma zona desconhecida e poucos foram os que se aventuraram a subir as suas altas e gélidas escarpas. A neve é tão fria que tem uma cor azulada. Sabe-se que existem animais, mas desconhece-se a sua forma e origem. Apesar do perigo, Dinis decide subir o Monte Azul com CauCau.

O rei do Monte Azul Oládia

Dinis repara que a onda de frio tem origem nas montanhas do Monte Azul, é uma zona desconhecida e poucos foram os que se aventuraram a subir as suas altas e gélidas escarpas. A neve é tão fria que tem uma cor azulada. Sabe-se que existem animais, mas desconhece-se a sua forma e origem. Apesar do perigo, Dinis decide subir o Monte Azul com CauCau.

O rei do Monte Azul Oládia

No topo das montanhas o frio é insuportável, Dinis sente dificuldade em subir. Os pássaros congelam em pleno ar, as árvores cruzam os ramos com frio e tudo está coberto de neve. Dinis vê umas estranhas fogueiras, cujo fogo é azulado, aproxima-se para se aquecer, mas logo repara que estas fogueiras arrefecem em vez de aquecer. O frio em OláDia tem origem nestas fogueiras geladas.

– Grrauu! O que queres daqui? – uma voz grossa fez vibrar as montanhas do Monte Azul.
Dinis ficou surpreendido, não queria acreditar no que estava a ver. Estava à sua frente um grande Leão Branco, com uma juba gigantesca. Em OláDia os Leões Brancos são figuras míticas, onde apenas existem em histórias contadas pelos oladiões mais velhos. CauCau correu logo para perto de Dinis.

O rei do Monte Azul Oládia

– Grrauu! O que queres daqui? – uma voz grossa fez vibrar as montanhas do Monte Azul.
Dinis ficou surpreendido, não queria acreditar no que estava a ver. Estava à sua frente um grande Leão Branco, com uma juba gigantesca. Em OláDia os Leões Brancos são figuras míticas, onde apenas existem em histórias contadas pelos oladiões mais velhos. CauCau correu logo para perto de Dinis.

O rei do Monte Azul Oládia

– Eu sou o Dinis! Como te chamas? Porque estão estas fogueiras acesas? – apresentou-se o nosso herói curioso.
– O meu nome é Frileão e sou o rei do Monte Azul. Não achas que estás a fazer perguntas a mais?

– Estou preocupado com o frio que está a matar o Verão de OláDia. – respondeu Dinis cheio de frio.

– Fui eu que acendi as fogueiras geladas para me arrefecer, não suporto o calor nesta época do ano. – explicou o Frileão.
– Mas se as fogueiras continuarem acesas irão estragar o planeta e mudar o clima para sempre em OláDia. – advertiu Dinis muito preocupado.

– Tenho muita pena, mas não irei apagar as fogueiras. OláDia irá ter de se habituar ao frio. – disse Frileão.

O rei do Monte Azul Oládia

– Fui eu que acendi as fogueiras geladas para me arrefecer, não suporto o calor nesta época do ano. – explicou o Frileão.
– Mas se as fogueiras continuarem acesas irão estragar o planeta e mudar o clima para sempre em OláDia. – advertiu Dinis muito preocupado.

– Tenho muita pena, mas não irei apagar as fogueiras. OláDia irá ter de se habituar ao frio. – disse Frileão.

O rei do Monte Azul Oládia

Dinis sabe que a solução não é fácil. Observa tudo à sua volta e fixa o seu olhar durante um pouco em Frileão. O grande Leão Branco fica desconfiado.
– Já sei!! CauCau anda cá! – disse Dinis com um ar bastante animado.

Dinis sussurra a CauCau para correr o mais rápido que pode, até casa, e trazer-lhe um objecto. Sem hesitar CauCau parte apressado, pelo Monte Azul abaixo.

CauCau regressa muito cansado e entrega uma tesoura a Dinis.
– Aqui está a solução Frileão! – exclamou Dinis.

– Grrumm! O que é que eu faço com isso? – pergunta confuso o Grande Leão Branco.

– Com esta tesoura, terás de cortar a tua grande juba na Primavera e a deixar crescer no Outono, assim não terás calor no Verão e no Inverno ficarás quente quando a juba voltar a crescer. – respondeu Dinis.

O rei do Monte Azul Oládia

CauCau regressa muito cansado e entrega uma tesoura a Dinis.
– Aqui está a solução Frileão! – exclamou Dinis.

– Grrumm! O que é que eu faço com isso? – pergunta confuso o Grande Leão Branco.

– Com esta tesoura, terás de cortar a tua grande juba na Primavera e a deixar crescer no Outono, assim não terás calor no Verão e no Inverno ficarás quente quando a juba voltar a crescer. – respondeu Dinis.

O rei do Monte Azul Oládia

Frileão ficou indeciso.
– Está bem eu corto, mas com uma condição. Todas as primaveras terás de vir ao Monte Azul ajudar-me a cortar a juba, não consigo agarrar a tesoura com as minhas garras. – pediu Frileão.

– Eu aceito a condição. – disse Dinis, disposto a fazer o sacrifício uma vez por ano para salvar OláDia, com muito cuidado, Dinis começou a cortar a juba a Frileão.

– Já está, cortei o suficiente para não teres calor. – disse Dinis.
– Agora estou mais fresco!

– Frileão, tenho de ir para casa, não aguento mais o frio.

– Como agradecimento quero oferecer-te um pouco da minha juba, se a colocares no bolso durante as viagens ao Monte Azul ficarás sempre quente. – explicou Frileão.

Dinis aceitou o presente, colocou-o no bolso e o seu corpo gelado foi percorrido por uma onda de calor.

O rei do Monte Azul Oládia

– Já está, cortei o suficiente para não teres calor. – disse Dinis.
– Agora estou mais fresco!

– Frileão, tenho de ir para casa, não aguento mais o frio.

– Como agradecimento quero oferecer-te um pouco da minha juba, se a colocares no bolso durante as viagens ao Monte Azul ficarás sempre quente. – explicou Frileão.

Dinis aceitou o presente, colocou-o no bolso e o seu corpo gelado foi percorrido por uma onda de calor.

O rei do Monte Azul Oládia

– Como prometido, irei apagar todas as fogueiras geladas. Serás sempre bem vindo ao meu reino. – disse Frileão.
Dinis despede-se e inicia a viagem de regresso. A viagem até casa é bastante mais confortável e quente com o pedaço de juba de Frileão no bolso. O nosso herói nem quer acreditar, tem como novo amigo, um grande leão branco.

Dinis e Caucau chegam a casa ao pôr do sol. Estão exaustos mas contentes, a neve derreteu e o clima já está a voltar ao normal. Os dois quase nem jantam com o sono que têm, Dinis veste o pijama e vai dormir com Caucau.

fim
O rei do Monte Azul Oládia

Dinis e Caucau chegam a casa ao pôr do sol. Estão exaustos mas contentes, a neve derreteu e o clima já está a voltar ao normal. Os dois quase nem jantam com o sono que têm, Dinis veste o pijama e vai dormir com Caucau.

fim